sábado, 29 de dezembro de 2012

POIS É... ANO NOVO... MESMA VIDA!!

Este 2012 foi marcante demais, teve PRECE DO MISSIONEIRO, em agradecimento e oração por todos os gaúchos!!
 
Teve o bom humor dos amigos, na pose das fotos, a cada nova canção... no riso amigo, no abraço entregue... 
 

Teve A VOZ DO AMOR gritando em Jaguari, dizendo que este lindo sentimento sempre estará vivo em nossos corações, enquanto houver uma mínima ligação com Deus, com as emoções e com o ser humano entre si...

Teve um mate, com olhar estendido no campo, na reflexão de uma VIDA DE CABELOS BRANCOS, mas, sem descuidar de olhar a estrada e saber que há muito ainda, para caminhar...

Teve criança no colo e famílias unidas, num SEMBLANTE DE PAI, que entrega ao coração, o rumo certo da vida...


Teve seção de fotos para o disco novo... realização de um sonho muito grande...
 
Talvez, por tudo isso, eu não concorde muito com o ditado ANO NOVO, VIDA NOVA, quero ANO NOVO, MESMA VIDA, mesmos amigos, mesma família, para fazermos canções diferentes, mas, caminhos iguais, falarmos da vida, no calor de um abraço e matearmos as horas no fogo grande do tempo... JUNTOS...
Desejo a todos, um ano novo lindo, que seja a colheita de todos os sonhos plantados e solo fértil para voltar a sonhar, que todos possamos evoluir enquanto seres humanos e, de dentro para fora, mudarmos conceitos para melhor, estabelecermos uma visão equilibrada sobre as coisas da vida, sem deixar de lado, a emoção que nos torna VIVOS!!
Que Deus habite na casa da alma de cada um de nós e que tenhamos sempre a vontade de trocarmos um novo abraço, uma nova palavra, motivos para estarmos sempre... JUNTOS!!!
 
FELIZZZZZ 2013!!!!!!
GRANDE ABRAÇO!!
 
Rômulo Chaves

TRABALHO VOLUNTÁRIO PELA POESIA!!

    Gente boa!!

    Estive, a convite da professora Zinéria, na cidade de Coqueiros do Sul, estabelecendo uma janela de discussão da poesia regional, com a criançada e os jovens de lá. Fizemos um encontro maravilhoso, onde pudemos, além de falar de poesia, trocar experiências de vida, de perspectivas e conclusões sobre a arte, em diferentes visões, foi muito importante.
    Agradeço o convite, agradeço também o presente recebido e deixo um largo abraço a todos que lá estiveram, fazendo deste momento, maior e tão bonito!!
    Seguem algumas fotos do encontro.
 




Ao final, cantamos juntos, antigas canções.

Uma prendinha da platéia, prestando sua colaboração.

Enquanto falava pra criançada...

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

FELIZZZZZ NATALLLLL!!!!!


 Que o nascimento do menino Jesus possa nos encher o coração de amor, que seja um Natal de Luz e Paz, onde as canções da amizade darão o tom e a harmonia para poemas rimados com emoção, fazendo deste sentimento, um grande festival de sorrisos, abraços, sonhos e realizações!!
Feliz Natal meus amigos!!
Que em cada oração, possamos nos lembrar de agradecer pela vida, pela felicidade de estarmos com quem gostamos, ou de termos estado, e, sabedores que o tempo de nossa existência é a maior riqueza que existe! Por isso, vamos colocá-la a nosso favor e tentando ser feliz todo o tempo que pudermos!!
Aquele abraço!!!

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

E O MUNDO NÃO ACABOU...


   Me disseram, pelos jornais, revistas e sites de internet, que era para ficar atento, pois hoje, dia 21 de dezembro, no solstício chuvoso deste verão de 2012, o mundo poderia, de fato, acabar... virar em nada...
   Porém, como também já era esperado, o mundo segue girando em seu compasso diário, a debochar do tempo, da grande brevidade da vida e, principalmente, a impulsionar a renovação desta.
   Mas, pensei, em meu devaneio louco de quem fez piada do fim de mundo (quase todos nós fizemos), que, em parte, bem que poderia ter terminado o mundo. Poderia ter sido o fim do mundo da miséria, da violência, da corrupção e da perversidade, deixando lugar para que nascesse um mundo livre destes paradigmas negativos, da subversão de valores ligados à vida, deixando florescer, no jardim da igualdade, realmente um mundo de todos!!
   Bem que o mundo, em parte, poderia ter acabado... no sentimento de todo e qualquer preconceito, de vaidade exacerbada e de colocação do indivíduo em patamar de semi-deus, de onde, frequentemente, seres que pensam ser superiores olham para os demais e riem da condição dos outros. Se isso tivesse fim, talvez, um mundo melhor nascesse, trazendo em seu compasso, o respeito pela condição de vida em toda sua forma, avaliando natureza, ecossistema e ser humano em suas importâncias fundamentais, enquanto parte integrantes de uma grande engrenagem que movimenta a condição de existir, admitindo que, sem um destes, realmente, seria o fim do mundo!!
   Por essas e outras, poder-se-ia até lamentar que, em parte o mundo não acabou. Porém, não nos desesperemos, ainda existem pessoas que valem a pena, momentos inesquecíveis, sorrisos altamente valiosos e canções sublimes... ainda existem duas flores lindas no jardim da vida, a esperança e o amor... e a elas, nosso maior sentimento hoje, pois ainda podemos contemplá-las, como se o mundo jamais fosse ter fim!!
   Feliz mundo novo a todos nós!! Talvez não no sentido lato, mas sim, no mundo interior que gira dentro de nosso coração todos os dias e, aos poucos, vai se transformando, ganhando contornos pessoais e emocionais, sem os quais, jamais poderemos admirar as belezas do mundo!!
   Grande abraço!!!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS - POR RICO BERTOLETTI!!!!!

   Gente boa!!

   Chego para postar mais três crônicas enviadas pelo Rico, que durante este ano, nos deixou mais ricos em amizade, conhecimento e cultura!!! Parabéns Rico!!! Que, muito breve, possamos, através de divulgação, projetos e parcerias, transformar teus causos em livro e deixar para a posteridade, como um resgate pitoresco, cotidiano e bem humorado dos nossos festivais nativos!!!!!
    Aquele abraço!!!!

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS


Meus Amigos, fim de ano chegando, desejo a todos um FELIZ NATAL e um 2013 MUITO LINDO.
Espero que tenham gostado destas crônicas sobre os festivais, aproveitando mando um abração para o meu grande amigo o POETA ROMULO CHAVES que no seu blog tem divulgado estas histórias e um pouco de tudo da nossa cultura gaúcha, ano que vem retornamos com outras.

PARCERIA 2
Em 1984 durante a 14ª Califórnia que acontecia na Pastoril, era uma verdadeira cidade de lona, centenas de pessoas acampadas, o Parceria tinha uma música chamada QUEIXUDA, falava da infração que assolava o País, a musica era do Adão e a letra do Moacir Severo, esta composição era candidata a musica mais popular, o Moacir para melhor divulgar a canção, mandou imprimir dez mil letras da musica em que aparecia o Ministro da época Delfin Neto montado numa mula, alugou um avião agrícola para jogar aquelas letras no parque, quem estivesse lá iria pegar uma letra para acompanhar a música, quando o avião passa na Pastoril e solta os folhetos, o João Quintana diz que bateu um vento sul e as letras foram parar em Ítaqui e Passo de Los Libres, não caiu uma sequer no parque.

O João aproveitou e falou também do Washington Pereira, este nego faz um violão solo de primeira categoria, ele acompanhou o Parceria num determinado período, diz os Quintana que o Washington era viciado em coca cola.
Certa feita estavam na fila da janta, o João atrás do Washington que logicamente começa a se servir antes, arroz, feijão, salada, a carne era frango o João olhou e viu que tinha três coxas e três sobre-coxas, o Nego pegou tudo e foi para mesa, o João se serviu e sentou ao lado do Washington, que olhando para o prato do João diz:
- Joãozinho não pegastes galinha?
O João: - Negão não tinha mais galinha.
- Joãozinho meu irmãozinho, troco contigo duas coxas e duas sobre-coxas por duas coca-cola...


Outra o Parceria contratado para fazer show em um festival, estadia, alimentação e refrigerantes os organizadores pagariam, bebida de álcool era por conta de quem bebesse, o João avisa todos integrantes das regras do contrato, equalizaram o show de apresentação a tarde, a noite fizeram o show e retornaram para o hotel, no outro dia pela manhã tomaram o café e estão indo embora, quando o gerente amigo do João o chama e diz:
- João nos temos que acertar os extras do quarto do Washington
- Mas ele bebeu alguma coisa de álcool?
- Não.
- Então acertar o que? Se o refrigerante da janta estava incluído.
- Quanto o refrigerante da janta não tem problema, é que ele ficou com trinta e seis coca-cola.
O João arrepiou os cabelos, pediu licença e disse que já retornaria.
Foi na direção do Negão e diz:
- Washington tu ficou com 36 coca-cola?
- Pois é Joãozinho, tu disse que o refri era liberado então eu to levando uma coquinhas pros meus neguinhos...

UM GRANDE ABRAÇO DO AMIGO

Rico Bertoletti

Diretor de Palco

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS - POR RICO BERTOLETTI!!!!!

    Gente boa!!
    Sigo publicando por aqui, os emails que recebo do Rico, diretor de palco, contando as memórias recolhidas diretamente dos nossos festivais.
    Um grande abraço a todos!!


HISTÓRIA DOS FESTIVAIS – ESPECIAL GRUPO PARCERIA


Meus amigos, o Grande apresentador e Pajador Paulo de Freitas Mendonça me corrige, que na história do Airton Pimentel eu citei ACOFEM: Associação das Comissões Organizadoras de Festivais, mas o correto é AGEM: Associação Gaúcha de Eventos Musicais.
Estive neste final de semana passado em Uruguaiana realizando a Direção de Palco do 2º URUCANTO que veio para ficar, grandes musicas, intérpretes de primeira qualidade e uma grande premiação, tudo sob o comando da incansavel NELI ROSSINI.
Estando na terra deles e sabendo que eles tem história, não pude me furtar de colher alguns relatos.
O Grupo Parceria nasceu em 1983 na Ronda do Alegrete, a frente os irmãos João e Adão Quintana, do Cleber Soares, Jaime Ribeiro, Gabriel Oldani, Necir Dornelles, Maurício, Vani...
O pessoal do Parceria me contou algumas histórias dos seus integrantes...

O Necir Dornelles um baita acordeonista era totalmente desligado, durante uma edição da Gauderiada, o Heleno Gimenez ia acompanhar a Fátima Gimenez em uma música, o grupo no palco e o Heleno procura a sua palheta e nada, desce do palco correndo para ver se alguém emprestava uma para ele e o Necir chama o Heleno e diz:
- Heleno o que tu ta querendo?
O Heleno: - Uma palheta, o pessoal tá no palco e eu faço um solo e preciso da palheta.
O Necir com a calma que Deus lhe deu, pega sua carteira abre ela, mostra a foto de um filho, bonito ele em Heleno, e continua a remexer na carteira, e o tempo passando..., o Heleno suando, olhava pro palco, via os outros músicos olhando pra ele como que dizendo vem assim mesmo, e o Necir continuava mexendo na carteira e o Heleno esperando uma solução, até que passados uns cinco minutos, o Necir fecha a carteira e diz:
- Pois é Heleno, eu sou acordeonista e não uso palheta pra tocar a minha gaita, se fosse violonista talvez até tivesse uma.
O Heleno puto da cara, volta pro palco e tocou o violão sem palheta mesmo.

Essa é do Gabriel Oldani também acordeonista, que o pessoal chama de “Bacudo”, o Parceria estava realizando um show na Vigília, e na terceira música do espetáculo, que iniciava com a introdução da gaita, da um "branco" no Oldani, o João vendo a situação chega perto dele e fala: - Vamo embora Bacudo.
O Gabriel totalmente desligado, solta a gaita, coloca ela no chão, olha pro Cleber Soares e:- Pois é Clébinho, ganhamo este dinheiro ligeirinho.
O Cleber:- Bacudo, vamo embora com outra musica animal...o show só está iniciando...
O Bacudo também esteve na mira de uma espingarda de um caçador lá da serra gaúcha, mas isso é outra história

O Jaime Ribeiro que possui uma voz muito bonita, de vez em quando cantava alguma musica que o grupo ia defender, em um determinado festival que o João não se lembrava qual era, diz que a musica que o Jaime ia cantar era letra e musica dele Jaime Ribeiro. O apresentador anuncia: - Para interpretar a musica.....Jaime Ribeiro e o Grupo Parceria o Adão e o Oldani fazem os acordes da introdução da musica e dão a deixa para o Jaime iniciar cantando e o “branco” bate no Jaime, ele se aproxima do Adão e diz:
- Como é que é a letra?
O Adão: - Eu nem sei das minhas, muito menos das tuas, as minhas musicas quem sabe a letra é o João.
O publico esperando o Jaime cantar...
O Jaime ao natural: - João Quintana onde anda você, por favor me ajuda,cade a letra???
O pessoal no palco começa a rir, o Adão e o Gabriel Oldani começam a música outra vez...
E o Jaime sem perder a calma diz: Gaiteiro meu amigo da outra volta, é nesse tranco que nós vamos até o amanhecer,
E nada da letra vir a mente...
E o Jaime sem perder a esportiva:
- Bom pessoal, jurados, imprensa e o público aqui presente, este ano nós viemos só com a musica, ano que vem botamos a letra e vamos cantar pra voces...



Um abraço do amigo

Rico Bertoletti
Diretor de Palco

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

2º MOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA DE PANAMBI, REALIZADO COM MUITO SUCESSO!!!!

Na madrugada de domingo, em Panambi, RS, foi encerrada a segunda edição do Moinho da Canção Gaúcha, que contou com dependências lotadas, muita infra-estrutura, parceria com o SESI, show de Pedro Ortaça e um desfile maravilhoso de 18 músicas concorrentes.
Tudo foi realizado com muito carinho e empenho, por uma comissão organizadora incansável e de muita amizade com as pessoas.
Foi uma noite mágica, onde a cultura e a arte regional deram o tom da prosa e da animação.

O festival aconteceu no Parque Municipal Rudolfo Arno Goldhardt.


Confira os vencedores:

1º lugar: CANCELAS E CORREDORES
Melhor Letra
Melhor Melodia
Letra: Ivo Bairros de Brum
Música: Jair Medeiros
Intérprete: Jean Krichoff
Cruz Alta / Santa Maria

2º lugar: MISÉRIA
Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Música: Nilton Ferreira
Intérprete: Nilton Ferreira
Santa Maria / Jaguari

3º lugar: RODA MOINHO
Letra: Nenito Sarturi
Música: Leonardo Sarturi
Intérprete: Nenito Sarturi
Santiago

Música mais popular: BRAVO IMIGRANTE
Letra: Vitor Bertei
Música: Luís Felipe Rosa
Intérprete: Léo Almeida
Panambi

Melhor Letra: Cancelas e Corredores – Ivo Bairros de Brum


Melhor Melodia: Cancelas e Corredores – Jair Medeiros

Melhor Interpréte: Nilton Ferreira

Melhor Instrumentista: Alan Portela (acordeon)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

30 ANOS DE CARREIRA DE MIGUEL MARQUES!!!!


  Que maravilha poder ouvir o novo CD de Miguel Marques!!
   "Miquel Marques 30 Anos" comemora três décadas de uma das mais marcantes trajetórias da música regional, resgatando sucessos antigos e sucessos atuais, demonstrando que, apesar do tempo, Miguel Marques continua com a garganta maravilhosa de quem colocou a voz a serviço da alma e da arte regional.
    Miguel é um destes seres humanos abençoados e iluminados, colecionador de amigos, mago das canções e, com certeza, parte da história da música nativista!!
    Ainda, me coube escrever a apresentação do disco, que, me perdoem, mas foi um grande presente!! Me senti emocionado por fazer parte, de alguma forma, da caminhada de um artista que admiro tanto, seja como cantor ou como figura humana que é!!
     Um grande abraço Miguel e muito obrigado pela emoção e pela cultura em cada canção que tua voz nos traz!!
      Segue a apresentação do disco, e o repertório da obra!!

Apresentação

Que honra me coube! Que orgulho imenso!
Apresentar Miguel Marques em seu trabalho que comemora 30 (trinta) anos de carreira é como ver o sol trazer a aurora de um novo ciclo sem esquecer as manhãs tão lindas que já nos proporcionou até aqui, é como ouvir a própria terra, com sua voz natural de chão valoroso onde o gaúcho fez querência!!
Miguel Marques é um destes enviados de Deus para que a humanidade tenha mais motivos para sorrir, para trocar um abraço, para celebrar a vida ao som de uma bela canção, embalada por uma das vozes mais marcantes da história do movimento nativista.
Apresentar Miguel Marques é preparar a cuia da alma para cevar um mate largo de poesia, onde o sonho aquentou a água da ilusão e a erva-mate nos trás o gosto bom de VIDA!!
Parabéns Miguel, por esta marca tão especial, e, muito obrigado, em nome do Rio Grande do Sul, por nos encantar nestas três décadas, com tua voz, tua presença e tua alma na garganta!!

Um grande abraço da querência dos ervais!!

Rômulo Chaves
01 - Ainda Existe um Lugar
02 - Atirado às Traças
03 - A Lição das Andorinhas
04 - De Tras da Vidraça
05 - Manhãs
06 - Vou Pra Fora
07 - Lá Fora
08 - O Galpão e a Passarada
09 - Um Aparte Piá
10 - O Canto do Sabiá
11 - Rio Grande Véio
12 - Clave de Lua
13 - Folha Seca
14 - Meu Lugar
15 - Quintandeira
16 - Canção Para Meu Filho
17 - Pra um Filho Distante
18 - Sonho de Barro

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"DOS ABRAÇOS QUE GUARDEI" CIFRADA!!!!

  Gente boa!!

  Atendendendo ao pessoal que me ligou atrás da cifra da obra da tertúlia "DOS ABRAÇOS QUE GUARDEI", vou publicar aqui.
  Esta canção é uma parceria minha com Nilton Ferreira, foi executada durante a edição de 20 anos da Tertúlia Nativista da cidade de Santa Maria, RS.
  Quem também quiser olhar o vídeo, segue o link direto ao youtube, é seguro, pode clicar, http://www.youtube.com/watch?v=2yuMxYpl6X4

E a cifra segue abaixo. Bom divertimento e canções a todos!!

DOS ABRAÇOS QUE GUARDEI

Rômulo Chaves / Nilton Ferreira


       Sol                                       la7
Guardei abraços pelos dias desta vida

                   Do                              sol
Mas me arrependo, devia ter gasto mais

                                              La7
Quantas vezes não fiz o que sentia

    Do                                            sol                lam   sol
Deixando de abraçar meus velhos pais…meus velhos pais....



            do                                       sol
Não se guarda um abraço pra outro dia

         Do                                      sol
É a lição que, aos pouquitos, aprendi

              Do                                       sol
Pois do abraço de um avô que me faz falta

            Do                                    sol
Eu juro mesmo que jamais me esqueci…



             Do          lam             sol
Ficaram lágrimas, sorrisos e palavras

        Do               lam                       re
No silêncio das memórias… eu bem sei…

                  Do                                  sol
Mas como doem estas saudades que trago

               Do              lam                   sol
No vazio grande dos abraços que guardei!!





                     Sol                            la7
De agora em diante, entrego todos eles,

       Do                                    sol
Os abraços que a vida tem guardado

                                                   La7
E nos lábios, quero mais de mil sorrisos

      Sol                    lam               sol
Pra lembrar, quando for do meu agrado…



              Do                                    sol
Pra todo amigo, vai um lote de esperanças,

        Do                                           sol
Pra família, mesmo rastro em nossos passos

                  Do                   lam          sol
De braços dados pra enfrentar o que vier

                   Do                      lam                sol
Nunca mais quero ou vou guardar um bom abraço!!

HISTÓRIAS DOS FESTIVAIS - POR RICO BERTOLETTI!!!!

Gente boa!!
Segue a mais nova crônica do nosso diretor de palco Rico Bertoletti!!
Maravilhosas essas memórias que ele está nos enviando!!
Aquele abraço ao Rico e meus parabéns por sua história e caminhada junto aos eventos do Rio Grande do Sul!!


HISTÓRIAS DE FESTIVAIS!!

MEUS AMIGOS
Depois de ter trabalhado neste último fim de semana na XX TETÚLIA MUSICAL NATIVISTA de Santa Maria, na Presidencia da Secretaria de Cultura Iara Druzian e a Coordenação da Oristela Alves, o festival foi de uma qualidade musical excelente e com grandes shows que abrilhantaram todas as noites, também teve a estréia da Exposição Itinerante "40 anos dos Festivais de Música Nativista" promoção do IGTF - Instituto Gaúcho de Tradição e Folclore, sob o comando do Diretor Técnico Claudio Knierin.
Aproveitando que estou indo neste fim de semana para Uruguaiana realizar a Direção de Palco do II URUCANTO - Uruguaiana Canta o Rio Grande, escrevo uma história daquela terra.

Esta história vem da Califórnia da Canção Nativa de Uruguaiana, quando ela era realizada no Parque da Associação Rural, este festival tem varias histórias, não me lembro a edição que aconteceu este fato, me lembro que no júri estava o Paulinho Tapajós, carioca grande conhecedor da musica regional brasileira, ele sempre trazia sua esposa, se não me engano o nome dela era Norma e todos a chamavam de Norminha, o casal era muito querido por todos nós, casualmente o que passo a contar aconteceu após o encerramento do festival, os organizadores naquela época colocavam na rodoviária, um ônibus cedido pela Grande Empresa, a Planalto, para trazer alguns participantes, músicos, jurados, imprensa, convidados...que viriam para Porto Alegre.
Como é de costume, quem quer tentar dormir vai na frente, no meio os que gostam de escutar as histórias e na parte de traz os corneteiros (quem bebe, fuma, reclama da decisão dos jurados...) no inicio da viagem a adrenalina ainda está a mil, e quem esta no bus? O Airton Pimentel, grande compositor autor de obras como Negro da Gaita, Missal das Reses, Chasque para Dom Munhoz entre outras..., meio embriagado queria dançar com a Carmen Lia, uma senhora que era secretaria da ACOFEN – Associação das Comissões Organizadoras dos Festivais de Musica do Rio Grande do Sul, no estado que ele estava, nem ela quis dançar com o Pimentel, aquela zoeira foi diminuindo, mas o Pimenta ainda estava firme, e uma das manias que ele tinha quando tava meio tocado, era beijar todo mundo, acordados naquela altura do campeonato era eu, o Capucho, o Paulinho Tapajós a D. Norminha, o Danilo Ucha, o motorista..., o Pimenta vai no banco onde estava o inesquecível Cesar Passarinho e tasca um beijo, o Passarinho acorda assustado e diz:
- O velho f.p. tu ta loco...
E da li o Pimenta foi no Pedrinho Guerra, seu filho, e também beijou ele e mais uns outros, depois que o Pimenta pegou no sono, é que eu fui dormir, acordo com o bus já perto de POA, e o nego Osmar Carvalho (no encarte do LP da 18ª Califórnia aparece o nome do Osmar Carvalho sem o “V”) o Osmar é mesmo du C..., voltando a história o Osmar diz:
- Bah Rico mas tu ronca em!!!
Eu disse: - Negão acontece que enquanto eu estava acordado e tu tava dormindo é que as coisas aconteceram...
E o Osmar: - O que aconteceu???
- O Pimentel beijou na boca, tu, o Pedrinho, o Toninho Rocha, o Passarinho e os outros...
O Osmar: - É mentira.
Então chamo as testemunhas, o Passarinho, D. Norminha, o Ucha, o Capucho e todos confirmam, que o Pimenta tinha beijado eles.
Era gente e mais gente limpando os beiços, pensando nos beijos do Pimentel.
Até hoje, eles achavam que o Pimenta tinha beijado eles na boca, mas na verdade, o Pimenta beijou eles no rosto e na testa, e agora acabou aquela duvida.

Um abraço do amigo

Rico Bertoletti
Diretor de Palco

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

CLASSIFICADAS PARA O SEGUNDO URUCANTO DE URUGUAIANA!!!!

Gente boa!!!
Saiu a lista de classificadas para o Urucanto de Uruguaiana.
Grande abraço!!!!


Foram 350 músicas inscritas. O corpo de jurados é formado por Antonio Carlos (Caco) Nilton Nilton da Rosa, Ricardo Pereira Duarte e Jaime Ribeiro.


Confira as Músicas Classificadas:

1- Braços
Letra: Hermeto Silva
Música: Renato Fagundes

2- Invernito Lasqueado
Letra: Cabo Deco
Música: Mauro Moraes

3- Luz da Aurora
Letra: João de Almeida Neto
Música: João de Almeida Neto

4- Juca do Alambrado
Letra:Cristiano Rauber, Alex Quevedo e Zeca Alves
Música: Glademir Escobar

5- Légua e Pico
Letra: Gujo Teixeira
Música: Edilberto Bergamo

6- Balizas para uma estrada
Letra:Valdir Disconzi
Música: Xuxu Nunes

7- Conhecimentos
Letra: Éverton Michels e Romulo Chaves
Música: Piero Ereno

8- Para Viver como Ñhandu
Letra: João Stimamilho
Música: Erlon Pericles

9- Ah esse Sul
Letra: Maximiliano Alves
Música: Os Calaveras

10- Do Coração a Razão
Letra: Mario Eleu e Eloisa Monteiro
Música: Eduardo Monteiro Silva e Frederico Monteiro

11- Infância
Letra: Leonardo Quadros
Música: Leonardo Quadros

12- Ginetes da vida
Letra: Diogo Vidal
Música: Mauricio Silveira

13- Nos Fandangos da Fronteira
Letra: Apolinário Queiros Filho
Música: José Candido Vieira

14- A Cor do Verde
Letra: Marcelo Dávila
Música: Clovis De Souza

15- Herança de Pai pra Filho
Letra: Hermes Lopes
Música: Fabricio Harden

Colaboração: Aline Ribas
Fonte: blog bahstidores

terça-feira, 27 de novembro de 2012

AOS AMIGOS QUE GOSTAM DA BOA MÚSICA REGIONAL, A INDICAÇÃO DO PRIMEIRO TRABALHO DE EVERSON MARÉ (SINCERIDADE)!!!!



Gente boa!!
Recebi um presente maravilhoso, para as horas de mate, canções e inspiração!!! O primeiro disco do Everson Maré é realmente uma obra de excelente gosto, que merece estar no acervo de todos aqueles que gostam da boa música regional!!!
Desde o trabalho gráfico até o resultado final das canções, o disco é feito com muito carinho e atenção aos detalhes, onde Maré entrega, de coração aos gaúchos, toda sua arte e inspiração.
O Cd pode ser comprado sem sair de casa, através do site http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-448358058-everson-mare-sinceridade-_JM?redirectedFromParent=MLB437563261 de onde retirei a apresentação do disco, que segue logo abaixo.
Um grande abraço Everson Maré!!! E muito boa sorte nos caminhos, que tuas canções sempre te levem ao coração do teu público!!!

Everson Maré, através de sua música, já representou a cultura gaúcha em todo o Brasil. Também levou nossa cultura para o Uruguai, Paraguai, Argentina e Estados Unidos. Gravou e atuou com conceituados artistas da música latino-americana, destacando-se: Pepe Guerra (Uruguai), Larbanois y Carrero (Uruguai), Los Alfonso (Paraguai), Los Ijos del Paraguai (Paraguai), Grupo Nuevo Horizonte (Argentina) e Antonio tarragó Ross (Argentina). E integrou o grupo Os Serranos por aproximadamente uma década. Premiado como compositor, intérprete e instrumentista em diversos festivais de música no Rio Grande do Sul, foi o músico mais premiado em festivais no ano de 2011. Depois de todo este amadurecimento, lança pela Gravadora Vozes, seu primeiro álbum solo, intitulado Sinceridade, que traz em suas 13 faixas toda a simplicidade, a lida e a cultura do povo gaúcho.


Repertório do CD: 01. ENQUANTO A CORDEONA CHORA(Gujo Teixeira / Everson Maré); 02. PRA QUEM LARGA UM SAPUCAI (Érlon Péricles / Alex Silveira); 03. SEMANEIRO (Volmir Coelho); 04. SINCERIDADE (Rômulo Chaves / Everson Maré); 05. A ESTRELA TORTA DA ESPORA (Gujo Teixeira / Everson Maré); 06. MILONGA PRA PENSAR (Gujo Teixeira / Everson Maré); 07. ESTRADA NOVA (Mauro Moraes); 08. NO TRANCO QUE O ZAINO FAZ (Gujo Teixeira / Everson Maré); 09. PASSANDO O LAÇO (Mauro Moraes); 10. GUITARRA VOZ E QUERÊNCIA (Everson Maré); 11. MILONGA EM TEMPO DE SECA (Vaine Darde / Everson Maré); 12. DESENCONTROS DO TEMPO (Vaine Darde / Everson Maré); 13. VIRANDO OS ARREIOS (Mauro Moraes/Éverson Maré).

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

DIA 22 DE NOVEMBRO, DIA DO MÚSICO!!!!!


   Hoje é dia do músico!!
   Parabéns a todos que fazem da alma, um instrumento, do canto uma ferramenta de transformação, dos acordes, um manifesto à liberdade, e, finalmente, da vida, a mais perfeita personificação da arte!!
   Obrigado a Deus pelos músicos, pelos caminhos em que estas estrela rebrilham e nos iluminam!!
   
    FELIZ DIA DO MÚSICO A TODOS!!

COMPARTILHANDO UM POEMA DO GRANDE MESTRE ANTÔNIO AUGUSTO FERREIRA!!!!

   Gente boa!!
   Não é segredo para ninguém que tenho, entre minhas referências, Jayme Caetano Braun, Aparício Silva Rillo e Antônio Augusto Ferreira.
   Em minha cabeceira, atualmente, repousam dois livros, COISAS DO CAMPO e COISAS DA VIDA. Ambos do grande mestre Ferreira.
   Eu, infelizmente, nunca tive a oportunidade de conversar, conviver ou mesmo ser apresentado ao Antônio Augusto, mas, enquanto admirador de sua arte, eu posso dizer que o conheço, no sentido de enxergar em cada palavra, a sensibilidade de uma pessoa atenta à vida, em todas as situações... Em cada verso, um campo universal, onde as rimas tanto entram num galpão de estância quanto pela porta da frente de uma Universidade, e, principalmente, um destes seres humanos tocados por Deus com o dom de nos transmitir ânimo, esperança e vida, através de suas palavras.
   Por tudo isto, que tomo a liberdade de repartir, com todos os amigos, um poema que consta do livro COISAS DO CAMPO, que, a primeira vez que li, terminei chorando, considerando a carga emocional arrebatadora desta poesia!!!!
   Também quero indicar e recomendar aos que gostam da arte regional, a leitura deste poeta, mestre do verso, chamado ANTÔNIO AUGUSTO FERREIRA.



O MAR
(Antônio Augusto Ferreira)


Hoje vamos ver o mar,
Vamos ver esse monstro
Pelo seu lado bom.
Eu só preciso silêncio,
Sscht, sscht.

Eis o mar,
A onda vem e bate
E se derrama na praia
Numa cortina de espuma.

Esse é seu lado bom,
O mar da praia,
É nesse que vamos ficar.
Aquele sentado na cadeira sou eu,
O vento drapeja minha bombacha
Por baixo da cadeira.

De vez em quando
O campo vem me visitar
E meus olhos se enchem de lágrima.
O amanhecer é lindo por demais
No meu rincão.

Quando a gente estava lá fora
O dia começava antes do galo.
Trabalhamos muito para vir à praia
Nesta vez.

Aquela criança que corre
É minha filha,
Ela tem só dois aninhos
E quer brincar na areia.
Faz anos que ela tem dois anos,
Aqui no mar não muda.

No campo ficou minha saudade,
A praia é meu nevoeiro
E a minha esperança.

Daqui a pouco
Minha mulher vai chegar,
Vamos prestar atenção.

Oh, lá vem ela,
Vem juntar-se a nós.
Esses dias são maravilhosos,
Nós só temos essa filha.

Eu espero a mãe
Para abrir a mateira
E cevar um mate.

Repare,
Minha filha já a viu
E corre para encontrá-la
Mas a onda gigante veio em sua busca,
Laçou-a pelos pés
E a levou para o fundo.

Quando eu vi minha mulher
Corria mar dentro
Para buscar o nosso bem maior,

Juntou gente à beira d’água
E houve um correr de salva-vidas,
Eu também corria atrás da onda,
Eu estava me afogando,
O pulmão cheio d’água
Quando alguém me puxou para cima

Aí as imagens são confusas,
As costas me doem,
Não consigo falar,
Quero notícias,
Uma luz intensa
Me cega os olhos,
Alguém me aperta o peito
E eu vomito água,
Preciso saber o que se passa,
Mas ninguém me conta.

Tenho a impressão de andar de carro,
Correndo feito louco,
Depois não lembro de mais nada
Não consigo falar e choro,
Não sei há quanto tempo estou aqui.
Quero sair e não me deixam,

Estou amarrado,
Grito contra isso!

Eu grito para todo o hospital,
Para todo o mundo,
Afinal a minha mulher salvou a filha
E me espera
E eu não vou,
Não me deixam sair.
Eu, amarrado!

Quando me trouxeram a esta casa
Meus pés doíam de agulha,
Meus braços estavam furados.
Aqui neste hospital esquisito
Todos me tratam bem,
Desde que eu não veja mãe e filha.

Hoje eu fecho os olhos a fingir que durmo,
Mas venho a esta praia.
É preciso manter segredo
Senão a enfermagem me tira daqui.

Aí está o mar, calmo, calmo.
Não confundam este andar de botinas,
Batendo no piso do corredor,
Com o barulho das ondas.

Qualquer hora Deus do céu
Me traz outra vez
O que de melhor
A vida já me deu.

O Senhor me perdoe.
Mas não consigo
Falar dessa desgraceira
Sem chorar.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

CLASSIFICADAS PARA O MOINHO DE PANAMBI, DIA 08 DE DEZEMBRO DE 2012!!!!!!

   Gente boa!!!

   Agora pouco, saiu a lista das classificadas. A triagem foi realizada na sede do Lyons Club de Panambi.
   Boa sorte e parabéns a todos!!!!
   OBSERVAÇÃO: NÃO ESTÃO NA LISTA, OS CLASSIFICADOS DA FASE LOCAL, POIS AINDA NÃO RECEBI.

CANCELAS E CORREDORES
Letra: Ivo Bairros de Brum
Música: Jair Medeiros
Cruz Alta / Santa Maria

RODA MOINHO
Letra: Nenito Sarturi
Música: Leonardo Sarturi
Santiago

O MOINHO
Letra: Rodrigo Bauer
Música: Arthur Bonilla
São Borja / Cruz Alta

AO PASSO DO MEU PICASSO
Letra: Rafael Teixeira Chiapetta
Música: Lucas Mendes
Soledade

PELOS SONS DOS FESTIVAIS
Letra: Vitor F. Bertei / Sabani Felipe de Souza
Música: Marcelo C. de Carvalho
Cruz Alta

OFICINAS DO TEMPO
Letra: Jorge Nicola Prado
Música: Leonardo Dias Morales
Cruz Alta

DE REMOS E RUMOS
Letra: Flaubiano Lima
Música: Régis Reis / Dartagnam Portella
Rolante / Tupãnciretã / Júlio de Castilhos

MISÉRIA
Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Música: Nilton Ferreira
Santa Maria / Jaguari

MORENA, FLOR DA SERRA
Letra / Música : Sabani Felipe de Souza
Cruz Alta

NA PONTA DA FACA
Letra: Roberto Huerta
Música: Jair Medeiros
Santa Maria

NA TERRA DO ALEMÃO
Letra: Vitor F. Bertei
Música: Marcelo C. De Carvalho
Cruz Alta

DE RUMOS E SONHOS
Letra: Eron Carvalho
Música: João Chagas Leite
Santo Ângelo

A MESMA ESTRELA
Letra: Martin Cézar Gonçalves
Música: João Bosco Ayala Rodrigues
Guaíba

QUANDO O HOMEM SE APARTA DA LIDA
Letra: José Mauro Ribeiro Nardes
Música: Sérgio Rosa
Santa Maria

HISTÓRIA DOS FESTIVAIS 4 - POR RICO BERTOLETTI!!!!!

    Gente boa!!
    Recebi mais um episódio do HISTÓRIAS DOS FESTIVAIS, que meu amigo Rico está escrevendo. Passei por aqui para repartir com todos os amigos que gostam do movimento nativo!!
    Mais uma vez, o Rico quebrou tudo!!!! Parabéns a ele pela memória cultural que está nos ajudando a construir!!!

    Aquele abraço de sempre!!!!

HISTÓRIAS DOS FESTIVAIS


Meus amigos, antes de mais nada quero agradecer ao grande amigo e poeta  RÔMULO CHAVES por estar compartilhando estas pequenas histórias com muito mais gente através de: romulochaves.blogspot.com
Um grande blog cultural, muitas informações...
Vou contar a história de um violonista, mas não posso esquecer destes que trabalho semanalmente nos festivais como Marcelo Caminha, Marcio Rosado, Arthur Bonilha, Marcelinho Carvalho, Maurício Marques, Maickel Paiva, Zulmar Benitez, Luiz Cardoso, Luciano Fagundes, Robson Garcia, Felipe Barreto e por aí se vai, os tantos outros que não citei me perdoem, mas é muita gente boa.
Convidado para trabalhar no Ronco do Bugio Festival que acontece na linda São Francisco de Paula, pelo inesquecível Galileu Arruda, que estava de produtor musical nesta edição, o ritmo das musicas concorrentes tem que ser o ”bugio”, o festival acontecia no mês de julho, inverno pegando, lá é que faz frio, teve edições do Ronco que até nevar nevou, nos camarins tem um fogão a lenha para os músicos aquecerem as mãos porque se não é assim, não conseguem tocar seus instrumentos. Desta vez teve o 1º Ronquinho do Bugio, poderiam participar a gurizada até 15 anos, tinha uma “banda base”, formada pelo grande percussionista Chicão Dorneles, o baixista Edson Junior, o acordeonista Leandrinho Rodrigues, o baterista Ricardo Arenhaudt e o maestro Edilson Avila na guitarra para acompanhar a meninada. Já havíamos equalizado 7 dos oito concorrentes, eis que chega no ginásio um gurizinho que todos nós conhecíamos, perguntamos a ele quem iria acompanhar??? Não vou acompanhar ninguém, vocês é que vão tocar prá mim, fora de pulha, vou participar do Ronquinho. Começamos a rir, o guri era nada mais nada menos que o Diamandu, atualmente Yamandu Costa, (quando começa a tocar seu violão ele vai para outra dimensão, é incomparável), ainda me lembro do Diamandu pequenino, os pais dele o Algacir Costa e a Clari, tinham o Grupo Os Fronteiriços, a Clari, colocava um pelego no “Case” do Baixo Acústico que o Preto, tio do Diamandu tocava e botava ele para dormir ali dentro enquanto eles se apresentavam.
Voltando a história, tu vai mesmo participar do Ronquinho?
- Vou, to numa dureza danada, to precisando de uns pilas e vou arriscar.
Subimos ao palco, fizemos a equalização, e ele foi bem...
Então começou a gozação, todos macacos velhos, dissemos:
- É o seguinte Diamandu, nós podemos tocar bem este bugio que tu vai cantar ou tocar mal e te enterrar, vai depender da nossa negociação, o 1º lugar é R$500,00, hoje já é grana imagina há uns 12 ou 13 anos atrás, tu ganhando nos dá R$300, cinquenta reais pra cada um, 5 músicos mais o Rico que está fazendo a Direção de Palco, é melhor ganhar R$200 do que não levar nada. Ele topou.
A noite veio, teve inicio o Festival, os concorrentes do Ronquinho se apresentaram, depois teve a eliminatória das musicas do Ronco, antes do show de intervalo, houve a entrega da premiação do Ronquinho, o Nico Fagundes que estava apresentando começou o 3º lugar vai para..., o 2º lugar vai para... e o primeiro lugar é??? Aquele suspense... e o primeiro lugar é Diamandu Costa, ele subiu ao palco num sorriso só, recebeu o troféu, agradeceu ao público e a “banda base”, o público do ginásio era só aplausos para o menino.
Começou o show de intervalo, neste meio tempo o Diamandu foi na tesouraria recebeu a premiação e voltou, veio ao nosso encontro nos chamou num canto, pegou R$200 botou no bolso e nos deu os trezentos restantes para dividirmos, começamos a rir e dissemos:
- Diamandu aqui todo mundo é profissional, acompanhamos bem todos os concorrentes, mas tu matou a pau cantando e fez por merecer esta premiação, este dinheiro é todo teu piá, ele pegou o dinheiro e chorando nos agradeceu:
- Vocês são uns f.p.

Um abraço do amigo

Rico Bertoletti
Diretor de Palco

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

CLASSIFICADAS PARA O BAQUERIA DE LOS PIÑARES!!!!

    Gente boa!!!!

    Está aí o resultado da triagem do festival Baqueria de Los Piñares, da nossa querida Vacaria!!!!
    Grande abraço!!!!


Resultado Triagem Baqueria de Los Pinares

Músicas classificadas Festival Baqueria de Los Pinares Etapa Nacional

1-Um Dia En Casa Blanca
L/M: Oscar Massita- Uruguay.

2-Para Ouvir a Terra em Cantiga
L: Vilson Vargas
M: Eduardo Lopez.

3-De Quem Retorna Para Terra
L: Adriano Alvez
M: João G. Rosa/Vitor Amorim.

4-Romance do Pé no Estribo
L:Rafael Trambeio
M:Rainer Sphor.

5-Apresilhado
L;Rafael Trambeio
M:Vitor Amorin.

6-Regresso
L: Rafael Machado
M: Marcelo Oliveira.

7-De Vida e Campo
L:Rômulo Chaves
M:Felipe Barreto.

8-Vida na Campanha
L:Mario Amaral/Nenito Sarturi
M:Juliano Javoski.

9-Tiamnhã
L/M: Paulo Osorio Silveira-Herval-RS

10-Das Rimas Que Se Perderam
L/M:Vilson Vargas/Everson Mare.

11-Zamba de Campo
L:Rômulo Chaves
M:Robledo Martins.

12-Na Procedência do Canto
L:Hique Barbosa/Henrrique Fernandez.
M: Augusto Baschera

13-Das raízes que Trago
L:Marçal Furian
M: Fernando Soares.

14-Noites Serranas
L:Dirceu Abrianos
M: Cleiber Rocha.


Músicas classificadas Festival Baqueria de Los Pinares Etapa Municipal

1-Um Simples Quadro Invertido- L/M: Rafael O. Ferreira.
2-Peão Veterano- L/M: Idalcir Peruchin/Jose Sebastião Amaral Peruchin.
3-Surungo de Sarandeio e Soslaio-L/M: Helio Preste.
4-Canto de Protesto-L/M: Uilian Michelon.
5-O caminho da Alma-L/M: Edson Cardoso de Almeida.
6-Sangue Biriva – L/M: Ricardo Pereira Nunes.
7-Rosario de Pedra Moura- L/M: Jairo Felipe da Boita/Daniel Bueno.
8-Vento Tropeiro –L/M: Altair Borges/Roberlei Sutil.
9-Tributo a Uma raça- L/M: Altair Borges/Roberlei Sutil.
10-Olhos de Querencia-L/M: Rafael O. Ferreira/Everton Hoffman.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS 3 - CONTRIBUIÇÃO DE RICO BERTOLETTI!!!!

    Gente boa!!

    Recebi mais um email do nosso amigo Rico!! Não posso deixar de compartilhar com todos que gostam destes relatos trazidos da história dos festivais.
    Grande abraço!!

Histórias dos Festivais


Este fim de semana promete, tem o Ponche Verde em Dom Pedrito, estarei fazendo a Direção de Palco na Seara em Carazinho na quinta, na sexta vou a Espumoso realizar a grande final do Rio Grande Canta o Cooperativismo 2012, retorno no sábado para a final da Seara que terá o Grande Show de encerramento do meu amigo Almir Sater.
Além dos festivais fixos, aqueles que acontecem em suas cidades como a Tertúlia em Santa Maria, o Grito - Jaguarí, a Seara - Carazinho, a Moenda - Santo Antonio da Patrulha, e aí se vai... Temos o Rio Grande Canta o Cooperativismo com o Prof. Virgílio, o Zigomar, a Elisangela, a Eliete todo pessoal do SESCOOP/RS, levando este grande festival a vários outros recantos do nosso Estado, muitas cidades ficaram conhecidas também, através do nome do seu festival ou de onde vem seus representantes, o Cristiano Pedra Quevedo - Piratini, os Fagundes - Alegrete, Grupo Parceria, Pirisca Grecco, Mauro Moraes, João de Almeida Neto, Vaine Darde... – Uruguaiana, Adair de Freitas, Luis Cardoso, Juliano Moreno... Livramento, Dorval Dias, Osmar Carvalho, Maria Luiza Benitez... – Bagé. E nesta atividade em que vivemos, sai de um Festival, e se vai para outro evento, conhecemos muitas pessoas... Mas só com um “cabeção” em todos os sentidos “formato e memória” que nem o do Nico Fagundes prá se lembrar de todo mundo.
É muito comum estarmos em algum local e chegam aqueles que te cumprimentam:
- Daí tchê, tudo bem, não se lembra mais de mim??? Ta rico agora??? Não se lembra mais dos pobres...e por aí se vai...
Aí vem a história é da Reculuta da Canção Crioula, “Onde os Baguais se Encontram”, e que está retornando ao roteiro dos festivais de 20 a 24 de março de 2013, o festival acontece em Guaíba, no ginásio mais conhecido como Coelhão, terra que o GRANDE JOSÉ CLAUDIO MACHADO representava quando se apresentava em qualquer parte do Estado, mesmo ele sendo da bela Tapes, o cantor e compositor Adriano Lima, cantou a última música da noite e veio o show de intervalo, o Adriano diz aos integrantes da música:
- Trabalho bem feito, também somos filhos de Deus, com este baita calor vamos beber umas cervejas...
E se foram para copa, quando chegam lá, um gauchão dizendo ser fã dele, se apresenta e diz:
- Tchê sou teu fã, gosto muito dos teus trabalhos.
O Adriano muito educado: - Que legal meu amigo, estes depoimentos é que dão força pra gente seguir cantando.
E o gauchão: - Mas Neto Fagundes, tu ainda não está me reconhecendo???
(Na época a única coisa parecida que os dois tinham era o cabelo molinha, mas também dependendo do estado etílico da pessoa, tudo fica igual, mas voltando a história)
O Adrianinho ficou com um grilo na cabeça e meio envergonhado falou:
- Meu amigo eu não sou o Neto Fagundes, eu sou o Adriano Lima!
E o gauchão: - Qual é Neto, ta tirando uma onda comigo?
O Adrianinho: Cara eu sou o Adriano Lima e você esta me confundindo com o Neto.
O gauchão não deixou por menos: - Ta certo Neto, eu sei que tu não quer aparecer, vamos tomar umas cervejas...
E o gauchão começou a baixar cerveja e mais cerveja, o Osmar Carvalho, o Mario Barros e o Gilmar Celau que tocavam na musica, naquela altura do campeonato, chamavam o Adrianinho de Neto Fagundes direto, foram umas três caixas de ceva, sem eles gastarem nada, e o gaúchão feliz da vida porque tinha passado a noite bebendo com o Neto Fagundes...

(Rico Bertoletti - diretor de palco)

terça-feira, 13 de novembro de 2012

MARCADA TRIAGEM DO MOINHO DE PANAMBI!!!!!

 Gente boa!!

  Foi marcada a triagem para o Moinho, festival da nossa querência de Panambi, RS.
  O trabalho será realizado nos dias 19 e 20 de Novembro, em Panambi. Boa sorte a todos aqueles que enviaram seus trabalhos!!!
  Grande abraço!!!!

MEU ORGULHO!! MINHA IRMÃ!! ESCRITORA E ARTISTA!!

  Gente boa!!
  Estou aqui hoje para divulgar o lançamento do livro da minha irmã, ROVANA CHAVES, que escreveu o livro ESSA VOZ SILENCIOSA, cujo lançamento é hoje, quarta-feira, na nossa Palmeirinha!!!
  A Rovana venceu um concurso internacional de crônicas, realizado em Portugal, pelo Rotary Club Internacional, e, confirmou a trajetória de uma grande escritora que vem surgindo, abrindo os caminhos da palavras com seu sentimento e olhar sobre a vida.
  ps: só vou publicar a crônica dela com atraso, porque ela demorou para mandar para mim... hahahahahaha
  Vou deixar a crônica por aqui, para partilhar com os amigos que gostam de uma boa leitura:

O Tempo
(Rovana Chaves)

Um corpo. Uma faca entre minhas mãos. Meus olhos estáticos. Esta é a paisagem da primeira segunda-feira do mês de março. O homicídio já havia se consumado. Não havia mais o que fazer. Até aquele momento... Não acreditei que eu tivesse matado alguém na sala do meu apartamento.
Minha respiração era automática. Busquei nos vagos pensamentos uma possível solução para aquela visão que parecia mais um seriado policial do que a realidade criada por mim. O motivo para eu tê-lo matado? Medo. Fiquei com medo. Vou lhe contar exatamente o que houve.
Enquanto preparava meu café da manhã para iniciar mais um dia de trabalho, ouvi um leve ruído aqui na sala. Na cozinha, parei com qualquer atividade que eu estivesse fazendo. Fiquei parada para tentar ouvir algum som. Não ouvi mais nada. Então, peguei minha xícara de café, sentei-me à mesa. Ao conectar-me com o jornal de notícias online, um novo barulho. Prestei atenção. Nada. Então, resolvi tomar o primeiro gole de café, porém, por precaução, abri a gaveta do armário ao lado da mesa, e peguei a faca mais afiada que encontrei. Depois fui até a sala para me certificar de que tudo estava tranquilo, afinal, eu tinha plena certeza de que chaveara a porta ontem à noite, além de trancar as janelas. Pensei que estivesse tudo seguro. Com passos lentos e devagar ia me aproximando... O corredor parecia não ter fim... Antes mesmo de chegar até a sala, percebi a sombra de um vulto. Pelo reflexo da janela pude ver que se parecia com um homem. Receosa, fui ao seu encontro. Eu queria perguntar quem era ele, mas a voz não saía. Seus olhos adentraram nos meus dando a sensação de que nos conhecíamos há anos.
Então, criei coragem:
- Quem é você? E o que faz na minha sala? Como entrou aqui? – minha garganta seca como o solo mais árido que você, leitor, pode imaginar.
Ele não se moveu. Não respondeu nenhuma de minhas perguntas. Mas seus olhos, fixos em mim. Fiz menção de atacá-lo. E ele permaneceu imóvel. Resolvi voltar até a cozinha, para pensar na melhor alternativa de colocá-lo para fora do meu apartamento. Ao pegar minha xícara, e voltar para a sala, dei de frente com ele escorado na porta, me observando. No desespero, comecei a gritar, fiz ameaças de chamar até a polícia. E ele, inerte. Empurrei-o contra a parede e nem barulho fez. Corri pelo apartamento, entrei no meu quarto, tranquei a porta. No calor do momento sento-me no chão. Ao abrir os olhos que havia serrado na intenção de pensar que tudo não passara de um pesadelo, dou de cara com ele sentado em minha cama!
Mais do que depressa levanto-me, abro a porta e saio correndo, esquecendo até de que estava munida de uma faca. E enquanto isso, como num passe de mágica, ele reaparece sentado na poltrona da sala. Logo vem um pensamento em minha cabeça: vou fugir! Tentei abrir a porta, mas a chave não se movia! Ou seja: eu estava trancada com alguém que eu não conheço dentro do meu próprio apartamento! Inacreditável!
Olhei no relógio: sete e quinze da manhã. Eu devia ter saído às sete horas para poder chegar a tempo no trabalho! Meu celular sem sinal, internet do computador para poder me comunicar com alguém, não estava funcionando. Telefone residencial mudo. O que era isso?!? O que estava acontecendo?!? Eu não sabia, mas queria descobrir e sair deste pesadelo! Ao voltar os olhos em direção àquele homem, com o pânico que eu estava, acabei percebendo que a única maneira de sair deste infortúnio era matando-o. Quando estamos munidos de raiva, medo, pânico, somos capazes de coisas que até nós mesmos duvidamos que um dia poderíamos fazer.
A primeira facada que dei foi em seu estômago. E depois desta, várias outras. Os olhos dele continuavam abertos. Não gemeu, não gritou. Não esperneou. Era como se eu estivesse usando a faca em um boneco. Mas para reafirmar que o quadro era real, seu sangue começou a escorrer pela poltrona... Sua mão direita recaída, pingava o sangue pelos dedos. E os olhos dele abertos até então, acabei por fechá-los. Depois de ter total certeza de que ele estava morto, fui até a porta para tentar abri-la. Consegui.
No entanto ao olhar o relógio de pulso, estava parado. O despertador do quarto, também parado. Minha última tentativa foi olhar no relógio do computador, que também estava inalterado. Meu celular voltara a ter sinal, mas o relógio não funcionava mais. O telefone convencional também voltara a funcionar. Mas eu não queria falar com ninguém e tampouco queria ver ninguém. Eu estava paralisada com tudo aquilo. Sem largar a faca, me sentei aqui, onde estou. De frente para o cadáver. Exatamente onde você, leitor, me encontrou... E o que fazer? Alguma sugestão?
Eu sei, estou aqui... Deixando as horas passar. Começo a chorar e me pergunto: Por quê? Por que fiz isso? Como deixei que o medo me consumisse a tal ponto? Olho mais uma vez para a faca em minha mão, e não sei o que fazer. Reclamo. É mais fácil reclamar de tudo, do que tomar atitude diante dos fatos. Diante da vida.
Celular tocando. Telefone convencional tocando. Mas não vou atender. O que dizer? Como explicar? Não consigo explicar. Qualquer pessoa em sã consciência perguntaria questões óbvias que eu não conseguiria responder. Onde colocar o corpo? Como limpar aquele sangue na sala? Na poltrona?
Ouço alguém batendo na porta. Não me movo. Olhando para o corpo estou e olhando para ele permaneço.
- Dona Claudia? Está aí? – É o porteiro do prédio chamando por mim. Fico impronunciável.
Ele insiste:
- Dona Cláudia, chegou um pacote da sua vó... Ela pediu que eu lhe entregasse em mãos. Como não a vi descer para ir ao trabalho, pensei que estivesse em casa... A senhora está aí? Está tudo bem?
- Oi senhor Valdir! – Gritei ainda sentada no chão. Um momento... Já irei pegar o pacote. Levanto-me devagar, pego o casaco que havia deixado na noite passada sobre a cadeira, e o visto. Afinal, era preciso esconder as manchas de sangue da minha blusa.
Abro uma pequena fresta da porta:
- Bom dia seu Valdir, não fui trabalhar porque não estou muito bem. Mas logo passa. Obrigada por vir trazer o pacote. – Dou um sorriso amarelo assim que pego a caixa.
- De nada dona Claudia, precisando de alguma coisa, é só pegar o interfone. Vou descer, não Posso deixar meu posto! Cuide-se!
- Sim... Pode deixar seu Valdir, vou me cuidar.
Fecho a porta, coloco o embrulho sobre a mesa. Abro. É o relógio que foi de minha bisavó. Junto com ele, um pequeno bilhete:
Claudinha,
Espero que cuide bem dele, assim como eu e sua falecida mãe cuidamos. Agora está em suas mãos marcar o tempo da melhor maneira possível: fazendo o que gosta, vivendo momentos felizes, e fazendo a diferença a cada dia.
Com amor,
Sua vó Dulce.
Ao olhar os ponteiros, percebi que ele estava funcionando. Saí olhando por todos os relógios de antes, e todos voltaram a funcionar. E o corpo? As manchas de sangue? Não sei onde foram parar. Mas vi a intensidade daquele momento. De fato eu acabara de matar alguém. Mas matei alguém que todos os dias muitos de nós somos acostumados a matar: o tempo.
Aquele vulto seguia-me com os olhos, e, no entanto nada fazia, sequer reagia... Seus olhos miraram meu íntimo questionando-me: O que você tem feito do seu tempo? Você o utiliza ou você o deixa escapar por entre os dedos? E realmente, eu estava a cada novo dia matando tempo... Deixando de fazer atividades necessárias. Deixando de conviver com pessoas que a mim são importantes. Deixando de aproveitar coisas boas que a vida pode oferecer.
Foi um sonho? Imaginação? Loucura? Não sei... Só sei que meus relógios marcam sete e quinze da manhã, e tenho mais uma chance de começar meu dia de trabalho, mas agora de uma forma diferente: pensando em aproveitar o tempo da melhor maneira possível.


Rovana, ao centro, de vermelho, recebendo a premiação das mãos das lideranças Rotarianas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS II - POR RICO BERTOLETTI!!

Gente boa!!
Eu tenho recebido alguns e-mails do Rico - nosso diretor de palco de muitos dos mais importantes festivais do Rio Grande do Sul - contando suas memórias e histórias de festivais.
Tenho achado muito, mas muito legal!!
São fragmentos importantes dos bastidores dos eventos, escritos por quem os conhece com muita propriedade. O Rico está se revelando um baita cronista cultural, por isso, tomo a liberdade de repartir estas preciosidades com as pessoas que também gostam do movimento nativo do Rio Grande do Sul!!
Aquele abraço!!

HISTÓRIAS DE FESTIVAIS

Esta história vem lá de Butiá, onde é realizada a Coxilha Negra, organizada pela Prefeitura Municipal, e a ALLKI Produções sob o comando do meu amigo Tinho Almeida. A Coxilha Negra na minha opinião é um dos festivais mais interessantes que temos em nosso Estado, devido ao fato de ter duas linhas distintas, uma popular e uma nativista, nas arquibancadas você vê o pessoal de bombacha, bota, chapéu, escutando um samba, um rock, um funk, e a gurizada com brinco, piercing, tatuagem curtindo um vanerão, uma milonga, um chamamé, todos começam a conhecer e a gostar desses novos gêneros musicais, sempre respeitando o artista que está no palco.
Tem alguns festivais que colocam nos regulamentos alguma coisa sobre indumentária, alguns dão até premiação.
Aí vem a história, um grupo vocal premiadíssimo nos festivais, o Grupo Status, do Claudio Amaro, Edson Vieira e o Dani DK, com participação especial do meus grandes amigos o cantor e compositor Marco Araújo, o percussionista Giovane Berti e do tecladista e acordeonista Matheus Cleber,estavam com uma música no Festival, chamei eles, pois seria a próxima música a se apresentar, eles estavam aguardando na beira da escada para subirem ao palco, fiquei olhando e vi o Giovane de calça jeans e alpargata, o Matheus de bombacha e tênis, pensei..., e contei pros outros integrantes do grupo, vou aprontar uma para esses dois....
Fui rapidamente nas arquibancada dei uma olhada e vi um cara de bombacha, chapéu, lenço e bota, bem pilchado, chamei ele, expliquei o que queria, dei um crachá pro cidadão e o cara como um grande ator se serviu para coisa, chegou perto do Giovane e do Matheus e se apresentou como Fiscal de Indumentária:
– Tchê, vocês vão participar da linha nativista e vem com esses trajes, calça jeans e alpargata e tu de bombacha e tênis? Vocês não vão poder subir ao palco!
O Giovane e o Matheus nem pensavam na música, mas na ajuda de custo que estavam perdendo, e viam o dinheiro voando de suas mãos, Eles olham um pro outro naquela baita interrogação, olham para mim, como quem está pedindo socorro, digo:
- Não posso fazer nada, o Fiscal de Indumentária tá aí pra isto.
Então olham para escada e vêem o Claudio, o Edson, o Dani e o Marco dando risadas do desespero dos dois, eles começam a rir, e dizem:
- Este negão e o dito “Fiscal de Indumentária" nos empulharam.
Todos subiram ao palco rindo, e fizeram uma baita apresentação da música.

Um abraço do amigo Rico Bertoletti

Diretor de Palco

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

CLASSIFICADAS PARA O MANANCIAL LÁ DA BOSSOROCA!!!!


Gente boa!!
Aí está a lista das classificadas para o festival de Bossoroca, RS.
Grande abraço a todos!!!


MANANCIAL MISSIONEIRO DA CANÇÃO


Classificadas para a 6ª edição


DAS CIRANDAS DO MEU TEMPO
Rômulo Chaves / Xuxu Nunes
Milonga
Palmeira das Missões / Santiago

RASGANDO A POLVADEIRA
Diego Muller / Wilson Vargas
Vanera
Canoas / Triunfo

DE LENÇO, BOTA E BOMBACHA
Alex Casanova
Vanera
Santa Maria

OLHARES IMORTAIS
Milton Berving / Francisco Neto / Claudio Vargas
Chamarra
Entre Ijuis / Santo Ângelo

UMA COPLA A BOSSOROCA
Joserley Portela
Chamarra
São Luiz Gonzaga

PAISAGENS MISSIONEIRAS
Binho Pires / Erlon Péricles
Chamarra
São Luiz Gonzaga / Porto Alegre

CAMINANDO LENTO
Nestor Raul Dias
Chamamé
La Plata – Argentina

ANTIGAS IMAGENS
Sergio Seitenfus / Flavio Campos Sartori
Chamamé
São Borja

A ALMA DO PAJADOR
Binho Pires / Erlon Péricles
Canção
São Luiz Gonzaga / Porto Alegre

MISSIONEIRO COURO CRÚ
João Sampaio / Renato Fagundes
Milonga
Itaqui / Uruguaiana

CHE PURAHEI MISSIONEIRO
Orides de Souza
Rasguido doble
São Borja

DESTINO NO VENTRE
Fabio Prates / Mauro Dias
Chamamé
Rosario do Sul / Sto.Antonio Missões

QUANDO CANTA UM LIBERTO
Moises S. Menezes / Eri Cortes
Chamamé
São Pedro do Sul / São F. de Assis

FUNERAL DAS ESPORAS
Henrique Aguirre / Henrique Fernandes
Chamamé
Marau

QUANDO O VERSO PERDE A DOMA
Mauro Dias / Ita Cunha
Rancheira
Santo A. das Missões / São Gabriel

MILONGA DE UM REENCONTRO
Carlos Alberto Dahmer / AntonioOlesiak
Milonga
Ijui / Panambi

Leia mais: http://www.acb-art.com/
fonte: www.acb-art.com

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

JURADOS DO MOINHO 2012, EM PANAMBI!!!!

Gente boa;

Devido à alta procura para saber quem são os jurados da edição deste ano do Moinho, festival de Panambi, RS, deixo os nomes abaixo, mencionando ainda, aos compositores, que as inscrições estão no último furo da guaiaca!! Está encerrando moçada!! Vamos mandar músicas!! Grande abraço!!

JURADOS DO MOINHO, 2012, EM PANAMBI, RS:

MIGUEL MARQUES - Santiago, RS

GABRIEL MORAES - Cruz Alta, RS

TUNY BRUM - Santa Maria, RS

ZULMAR BENITES - Bagé, RS

SILVIO GENRO - Uruguaiana, RS

(Tanto para triagem quanto para o festival)

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

29 DE OUTUBRO!! MEU ANIVERSÁRIO!!



    Pois é gente boa!! Hoje é meu aniversário!!
    Geralmente não escrevo sobre estas coisas mais íntimas aqui no blog, porém, a realidade é que se faz necessário, por razões muito importantes, estas que residem no coração das pessoas que torcem por mim, fazem parte da minha vida - de algum jeito - e lembraram desta data ao menos por um segundo em suas vidas, ocuparam um tempo em sua vida, para lembrar da minha!! Isso merece meu reconhecimento e meu mais sincero abraço!!
    A VIDA É O PRESENTE MAIS DIVINO, IMPORTANTE E PRECIOSO QUE EXISTE!! DEUS JÁ ME DEU 33 ANOS DELA!! A ELE AGRADEÇO DO FUNDO DA MINHA ALMA!!
    Também recebi da vida a felicidade enorme de estar rodeado de pessoas especiais que amo muito, minha família e meus amigos!!
    Por estas pessoas, com certeza, estou tendo realmente um feliz aniversário e a estas pessoas dirijo meu olhar, minhas palavras e meu abraço, agradecendo pela estrada que está sendo trilhada ao meu lado, por me evitarem a solidão, me mostrarem a luz de suas almas e me permitirem aprender com elas... às pessoas queridas que me cercam, agradeço cada minuto em que pudemos estar reunidos e agradeço a força da saudade que brota no coração quando estamos longe de gente que nos importa, que nos faz bem!! A estas pessoas dedico meus versos, meu respeito, amizade e amor!! Dedico o que de mais nobre acredito abrigar em minha alma!!
    Um grande abraço a todos que, durante estes 33 anos de existência, me ajudaram a construir quem sou, incentivando meus sonhos, me confortando nas perdidas e compartilhando as vitórias!! Que Deus nos reserve muito mais... muito mais abraços... muito mais encontros... MUITO MAIS VIDA A TODOS NÓS!!!!

CLASSIFICADAS PARA SEARA 2012!!!!

  Retirado do blog Bahstidores, segue o elenco das composições classificadas para a Seara. No dia do meu aniversário, recebo a classificação de presente.
  Um grande abraço a todos!!

  Fonte: Clarissa Moura  http://bahstidores.blogspot.com.br/



Categoria Geral


01.O RESPEITO
L: Fábio Prates — M: Fábio Prates — Município: Rosário do Sul

02.LUA BRANCA, NOITE ESCURA
L: Adriano Silva Alves — M: Edilberto Bergamo — Município: Pelotas/São Gabriel

03.PRA CANTAR CANDÔMBE
L: Marco Antonio Soares — M: Cícero Fontoura — Município: Santa Maria/Dom Pedrito

04.RAZÕES DO MEU CANTO
L: Marçal Furian — M: Raineri Spohr — Município: Cruz Alta/Dom Pedrito

05.QUE CAVALO BOM
L: Angelo Franco — M: Érlon Péricles — Município: Porto Alegre

06.JUJOS DE MILONGA
L: Hermes Regis Lopes — M: Fabrício Harden — Município: Caxias do Sul

07.INQUIETUDE
L: Xirú Antunes — M: Zé Renato Daudt — Município: Pelotas/Porto Alegre

08.MARIAS GAÚCHAS
L: Telmo Vasconcelos — M: Eduardo Monteiro Silva — Município: Santo Ângelo/Santa Maria

09.SOU BEIJA-FLOR
L: Máximo Fortes — M: Luciano Rodrigues/Jean Kirchoff — Município: Santa Maria/Tramandaí

10.O PREÇO DE CADA UM
L: Rômulo Chaves — M: Nilton Ferreira — Município: Palmeira das Missões/Jaguari

11.EM OUTRA VIDA QUEM SABE
L: Dilamar Costenaro — M: Miguel Marques — Município: Santiago

12.NA PORTA DO RANCHERIO
L: Gujo Teixeira — M: Luciano Maia — Município: Lavras do Sul/ Porto Alegre

13.RETRATO DOS MEUS PELEGOS
L: Olgi Zauza Krejci — M: Piero Ereno — Município: Santo Ãngelo

14.PALAVRA SINGULAR
L: Gujo Teixeira/Zé Daudt — M: Samuel Costa/Piero Ereno — Município: Lavras do Sul/ Santo Antônio da Patrulha

Suplentes

01.QUANDO A SAUDADE SE FAZ MILONGAS
L: Mario Lucas — M: Diego Camargo — Município: São Gabriel

02.ROMANCE DO PEÃO PACHOLA
L: Adão Quevedo — M: Adão Quevedo — Município: São Lourenço do Sul

Categoria Local
01.RECOLORINDO LEMBRANÇAS
L: Jeferson Monteiro — M: Jeferson Monteiro/Natalício Cavalheiro — Município: Carazinho

02.CIRANDA DO TEMPO
L: Darci Vieira — M: Darci Vieira — Município: Carazinho

03.HERANÇA FARRAPA
L: Odillo Gomes/Alexandre Marek — M: Anderson Marek — Município: Carazinho

04.EM VERSOS DE RECOLHIDA
L: Décio Fernando Neuls — M: Décio Fernando Neuls — Município: Carazinho

Categoria Piá

01.GUSTAVO OLIVEIRA DA SILVA
Música: No rastro da gadaria — Município: Esteio

02.VITÓRIA CORREA DE OLIVEIRA
Música: Céu aberto — Município: Palmeira das Missões

03.THAÍS BARCELOS DE OLIVEIRA FAGUNDES
Música: Milonga Elementar — Município: Viamão

04.MAIQUEL FILHO
Música: Quando o céu chora saudade — Município: Camaquã

05.LARISSA CAMPOS BRITO
Música: Sonho de Seresteiro — Município: São Leopoldo

Categoria Piazito

01.LAURA BAUM
Música: Da alma Branca dos que tem saudade — Município: Ivoti

02.NATÁLIA DE CARLO KOLLET
Música: Reinfância — Município: Palmeira das Missões

03.KETHELLYN BEATRIZ GARCIA
Música: Rancho de luz — Município: Gravatai

04.THAÍS BARCELOS DE OLIVEIRA FAGUNDES

Música: Milonga Elementar

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

CLASSIFICADAS PARA TERTÚLIA 2012!!!!

Copiei do blog bahstidores para repassar a informação. Abração a todos!!


fonte: Clarissa Moura

bahstidores@yahoo.com.br

Foi realizada esta semana a triagem da 20ª edição da Tertúlia Nativista de Santa Maria, o festival acontece de 29 de novembro a 02 de dezembro. O corpo de jurados é composto por Érlon Péricles, Francisco Alves, Juarez Fonseca, Julio Pereira, Nenito Sarturi, Ramires Monteiro, Sérgio Rojas.
Confira as composições classificadas para os 20 anos da Tertúlia Nativista.

01 A Torre - Milonga
Letra e Música: Volmir Coelho
Cidade: Santana do Livramento

02 Os Três Estados Da Milonga - Milonga
Letra: João Stimamillio
Música: Miguel Tejera
Cidade: Porto Alegre

03 Sete Cruzes - Canção
Letra: Tadeu Martins
Música: Lenin Nunez
Cidade: Santo Ângelo/Porto Alegre

04 Voltando Pra Casa - Chamarra
Letra: Sabani Felipe de Souza/Leandro Ribeiro
Música: Marcelinho Carvalho
Cidade: Cruz Alta

05 Valsa Entre AS Nuvens - Valsa
Letra: Caio Martinez
Música: Cristian Sperandir
Cidade: Porto Alegre/Osório

06 Quero Uma Vaneira - Vaneira
Letra: Eron Carvalho
Música: Sérgio Rosa
Cidade: Santo Ângelo/Santa Maria

07 Grão Após Grão - Canção
Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Música: Piero Ereno
Cidade: Santa Maria/Jaguari

08 Bico de Carancho - Chamarra
Letra: Rafael Ferreira/Felipe Corso
Música: Zulmar Benitez
Cidade: Vacaria/Canoas/Santa Maria

09 Gare - Milonga
Letra: Sílvio Genro
Música: Tuny Brum
Cidade: Uruguaiana/Santa Maria

10 O Calçadão - Milonga
Letra: Evandro Zamberlan
Música: João Chagas Leite
Cidade: Santa Maria

11 Romance do Peão Pachola – Milonga Arrabalera
Letra e Música: Adão Quevedo
Cidade: São Lourenço do Sul

12 Terra Santa Maria - Toada
Letra: Moisés Silveira de Menezes
Música: Renato Mirailh
Cidade: São Pedro do Sul/Santa Maria

13 Saudade, Tempo e Lembrança - Milonga
Letra: Belmiro Pereira
Música: Luiz Cardoso
Cidade: Santana do Livramento

14 Recordando a Doma Antiga - Chamarrita
Letra: Alsom Pereira da Silva
Música: Adair de Freitas
Cidade: Rosário do Sul/Santana do Livramento

15 Com A Lua Na Garupa - Canção
Letra e Música: Ernesto Fagundes
Cidade: Porto Alegre

16 Dos Abraços Que Guardei - Canção
Letra: Rômulo Chaves
Música: Nilton Ferreira
Cidade: Palmeira da Missões/Jaguari

17 Um Peão Campeiro Igual a Tantos - Chamarra
Letra: Leonardo Borges/Junior Aires
Música: Fabricio Ocaña
Cidade: Sant’Ana do Livramento

18 Aos Meus - Valsa
Letra: Matheus Neves da Fontoura
Música: Felipe Barreto
Cidade: Porto Alegre

19 Guaira - Zamba
Letra: Heleno Cardeal
Música: Lanes Cardeal
Cidade: Santo Antônio da Patrulha

20 Botei A Fuça No Dia - Vaneirão
Letra: Hermes Regis Lopes
Música: Fabricio Harden
Cidade: Caxias do Sul/Porto Alegre

"HISTÓRIAS DE FESTIVAIS" POR RICO BERTOLETTI!!

Gente boa!!
Recebi um e-mail do Rico (diretor de palco) que preciso compartilhar com os amigos. O Rico está se mostrando um baita cronista destas memórias de festivais nativistas.
Um texto fácil, divertido e muito bem desenvolvido por esta figura que está sempre testemunhando cada ciclo nativo, justamente de onde ele nasce... de cima do palco!!
Um abraço amigo Rico e muito obrigado por este regalo de mergulhar no tempo e beber da fonte deste nosso movimento tão importante a todos nós!!

Histórias de Festivais


Recebi vários e.mail pedindo para que contasse mais alguma história dos festivais, então vai mais uma.

Convidado pelo meu grande amigo Jaerson Martins para fazer a Direção de Palco do 1º Gruta em Canto em Nova Esperança do Sul, nesta edição o festival aconteceu ao lado da Gruta Nossa Senhora de Fátima, um local maravilhoso, musicas muito bonitas, a vencedora foi Milonga a Integração na voz de Flávio Hansen e o Daniel Torres em 2º lugar foi No Encanto da Gruta com o Nenito Sarturi e a Analise Severo, o 3º lugar Dança das Sombras com Antonio Gringo e Os 4 Ventos, depois da apresentação das musicas, show de intervalo, jurados reunidos para decidirem a premiação o grande compositor Sadi Machado tinha uma vaneira “Tô” Pegando de a Meia, bem popular, o Sadi apreensivo ficou esperando os jurados saírem do local do julgamento para saber da premiação, foi no Vilmar Vila, no Sicha, Aurélio Moraes, João Casttelan, no Manoel Palmeiro e eles não falaram da premiação então ele foi no último jurado o Ataliba Lima de Moraes: e aí Ataliba ganhei alguma coisa? Não posso falar Sadi. Por favor Ataliba me diz. E o Ataliba muito sacana diz: a mais popular é tua Sadi. Terminado o show o Paulo de Freitas Mendonça sobe no palco e começa a divulgar a premiação, melhor instrumentista Cássia Abreu, melhor intérprete Fátima Gimenez, melhor arranjo e melhor grupo instrumental Adair de Freitas e grupo, melhor grupo vocal Antonio Gringo e Os 4 Ventos, a música mais popular é? O Sadi na escada pronto para receber a premiação e o Paulo diz: A musica mais popular é Cordeona do Ciro “beiço” tem autoria de Elton Saldanha, Quide Grande e João Sampaio interpretada por Elton Saldanha e Alemão do M’Bororé, a turma do Elton sobe ao palco para receber a premiação e o Sadi fazendo sinal de que tinha sido roubado, tenta subir no palco e eu pergunto o que houve Sadi? Este resultado ta errado, a minha música é a mais popular, ta errado é a minha, nisto o Sadi já está atrás do Paulo, a esposa do Jaerson interveio Sadi a premiação está correta por favor não me faz um escândalo, o festival ta tão bonito, eu peguei a lista da premiação das mãos do Paulo e mostrei pro Sadi ta aqui seu Sadi pode ver não tem nenhuma rasura, a esposa do Sadi pergunta quem te informou deste resultado? O Sadi foi o Ataliba e no mesmo instante o Sadi começa a sorrir e diz aquele f.p. do Ataliba não perde a mania de empulhar as pessoas.

Esta edição do Gruta é excelente tem belas musicas e participação de gente de peso como Luis Carlos Borges, Valtenor de Almeida, Wilson Paim, Nilton Ferreira, João Chagas Leite entre outros, quem faz coleção de CDs de festivais tem que ter um exemplar deste na sua discoteca.

A 6ª edição do Gruta Em Canto acontecerá de 23 a 25 de novembro de 2012 estaremos lá trabalhando junto com o Jaerson e sua equipe, neste final de semana 26 e 27 de outubro estarei em Cachoeira do Sul realizando a Direção de Palco da 22ª Vigília do Canto Gaúcho com a supervisão da nossa amiga Vera Prade.

Um abraço do amigo

Rico Bertoletti

domingo, 21 de outubro de 2012

PESSOAL!! REGULAMENTO DO MOINHO, DE PANAMBI!! VAMOS MANDAR MÚSICAS!!

2º MOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA

REGULAMENTO

O Moinho da Canção Gaúcha, regulamentado por este instrumento, é uma realização daPrefeitura Municipal de Panambi, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. Será umfestival de música nativista e galponeira, extensivo a todo o Brasil e países pertencentes aoMercosul, através da participação de poetas, músicos e cantores identificados com a cultura doRio Grande do Sul e da América Latina, tendo como baliza as referências culturais norteadoras dacultura gaúcha.2 –

DOS OBJETIVOS2.1 – Divulgar, através da poesia e da música, os verdadeiros valores da cultura gaúcha, de forma apreservar a arte, a imagem e o autêntico sotaque do Rio Grande do Sul, mantendo viva aterminologia, a indumentária, os usos e costumes característicos do Pampa Gaúcho.
2.2 - Valorizar o homem e a lida do campo, personagens da nossa história, retratando suaimportância para a literatura e para a sustentação do folclore do Rio Grande do Sul, do Brasil epaíses do Mercosul.
2.3 - Resgatar as peculiaridades musicais e poéticas do Rio Grande do Sul, na afirmação de suascrenças e na busca incessante de suas raízes.
2.4 - Promover os intérpretes, pesquisadores e artistas em suas potencialidades artísticas eculturais.
2.5 - Desenvolver na população em geral, o apreço pelas manifestações artísticas sul rio-grandenses.
2.6 - Tornar o município um pólo catalisador da música regional e crioula.

3 - DA ADMINISTRAÇÃO DO FESTIVAL Será formada uma Comissão Organizadora para realizar o evento, sendo que a mesmacompete:
3.1 – Contratar pessoal técnico a fim de atender à sua destinação específica para odesenvolvimento do evento.
3.2 – Receber as inscrições para o festival.
3.3 – Contratar artistas de renome e popularidade para o festival.
2. 3.4 – Elaborar o relatório final do evento e o balanço das respectivas despesas e receitas.

4 - DA INSCRIÇÃO E PARTICIPAÇÃO4.1 - Poderão participar compositores e intérpretes de todo o Brasil e países do Mercosul, desdeque obedeçam as normas deste regulamento.
4.2 - Serão aceitos poemas em Línguas Portuguesa e Espanhola, desde que identificados com acultura regional, étnica, urbana e campeira do Rio Grande do Sul.
4.3 - As inscrições são gratuitas e ilimitadas.
4.4 - O MOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA será realizado no dia 08 de dezembro de 2012, tendo comolocal o Parque Municipal Rudolfo Arno Goldhardt de Panambi - RS, com horário de início previstopara às 21 horas .
4.5 - Poderão participar do Festival SOMENTE composições inéditas, o que pressupõe que a obranão deve ter sido gravada ou divulgada anteriormente.
4.6 – Há duas maneiras de inscrever-se no festival: 4.6.1 - Pelo correio: enviar a ficha de inscrição, devidamente preenchida e assinada. Cadacomposição deverá ser enviada em CD de Áudio, acompanhada de 06 (seis) cópias digitadas daletra, constando no CD e em todas as vias, o nome da composição e o gênero musical; 4.6.2 - Pelo e-mail: moinhocancaogaucha@panambi.rs.gov.br, enviando como documentosanexos: • Arquivo MP3 com o áudio da música inscrita • Arquivo Word, com a letra da composição digitada em fonte Arial 12. • Ficha de inscrição preenchida e assinatura digitalizada.4.7 – As inscrições, via correio, deverão ser endereçadas à “COMISSÃO ORGANIZADORA DO 2ºMOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA”, Avenida Konrad Adenauer, 1870 - Bairro São Jorge, CEP 98280-000, Panambi/RS.4.8 – Somente serão aceitas as inscrições que chegarem à Comissão Organizadora até às 17 horasdo dia 9 de novembro de 2012, independente da data de postagem nos correios.4.9 – Os artistas intérpretes e o(s) autor(es), no momento de sua inscrição e participação no 2ºMOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA, reserva(m) os direitos audiovisuais de sua obra ao evento e àPrefeitura Municipal de Panambi, autorizando sua divulgação, bem como sua gravação ecomercialização.4.10 – O Festival não indenizará ou remunerará qualquer pessoa por sua apresentação ouexecução de instrumento no palco do festival, além da ajuda de custo (explicitada no item 6.2deste regulamento), valendo-se inclusive do disposto no artigo anterior.

3. 5 – DA SELEÇÃO E CONCURSO5.1 - A Comissão de Triagem e Julgamento selecionará, no dia 15 de novembro, 14 composições nacategoria geral e 04 composições na categoria local para serem apresentadas no palco do Festival.5.2 - Para classificação da categoria local, é requisito que AO MENOS UM do(s) letrista(as) ouintérprete(s) sejam natural(is) e/ou residente(s) em Panambi, RS.5.3 - A ordem de apresentação das composições pré-selecionadas será definida pela ComissãoOrganizadora, logo após a triagem, não sendo aceitas alterações posteriores.5.4 - Caberá à Comissão Organizadora a escolha do corpo de jurados.5.5 – O número de músicas inscritas por compositor é ilimitado.5.6 – O(s) músico(s) poderá(ão) subir ao palco em até três músicas concorrentes, independente dacategoria.5.7 – O(s) intérprete(s) poderá(ão) subir ao palco em no máximo duas músicas, independente dacategoria.5.8 - Os intérpretes ou músicos que subirem ao palco do Festival deverão apresentar-sedevidamente pilchados, não sendo permitido o uso de camisetas com propaganda ou alusão aqualquer outro tipo de manifestação que não seja relacionada à cultura do Rio Grande do Sul.6 –

DA PREMIAÇÃO6.1 - Aos vencedores do 2º Moinho da Canção Gaúcha, caberá a seguinte premiação: • 1º lugar (local): R$600,00 (Seiscentos reais) e Troféu • 2º lugar (local): R$400,00 (Quatrocentos reais) e Troféu • 3º lugar (local): R$300,00 (Trezentos reais) e Troféu • 4º lugar (local): R$150,00 (Cento e cinquenta reais) e Troféu •

1º lugar (geral): R$ 2.500,00 (Dois mil e quinhentos reais) e Troféu •
2º lugar (geral): R$ 2.000,00 (Dois mil reais) e Troféu •
3º lugar (geral): R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentos reais) e Troféu
• Música mais popular: R$ 700,00 (Setecentos reais) e Troféu
• Melhor melodia: R$ 500,00 (Quinhentos reais) e Troféu
• Melhor letra: R$ 500,00 (Quinhentos reais) e Troféu
• Melhor instrumentista: R$ 500,00 (Quinhentos reais) e Troféu
• Melhor intérprete: R$ 500,00 (Quinhentos reais) e Troféu.

6.2 - Haverá pagamento a título de ajuda de custo de R$ 1.500,00 (Um mil e quinhentos reais) para cada obra classificada na categoria geral e de R$ 800,00 (Oitocentos reais) para cada obraclassificada na categoria local. (Desde que respeitado o item 8.4 - das Normas Gerais, presenteneste Regulamento)

4. Obs.: Aos concorrentes será disponibilizada acomodação de alojamento, sendo que, a utilizaçãoou não, deverá ser confirmada pelo próprio compositor/intérprete, após classificação na triagem.7 – DA PROGRAMAÇÃO08 de dezembro de 2012:09 h – Passagem de som21h – Solenidade de abertura – Apresentações artísticas21h 30min – Apresentação dos Concorrentes23h 30min – Show de intervalo00 h – Divulgação dos resultados e entrega das premiações8 – NORMAS GERAIS8.1 – Serão credenciados no máximo 2 (dois) profissionais, por jornal e 02 (dois) profissionais, poremissora de rádio.8.2 – Serão credenciados somente os compositores, músicos e intérpretes participantes, ficando oFestival obrigado a credenciar um acompanhante de qualquer natureza, porcompositor/músico/intérprete.8.3 – A Comissão Organizadora reserva-se o direito de, em qualquer momento, excluir do evento oconcorrente ou grupo cujos participantes infringirem as normas deste regulamento.8.4 – Os concorrentes classificados que não comparecerem no horário estabelecido pela comissãoorganizadora, para a passagem de som, terá descontado da sua ajuda de custo 30%. Este horárioserá estabelecido e previamente divulgado para cada concorrente classificado.8.5 – Os casos omissos a este regulamento serão resolvidos soberanamente pela ComissãoOrganizadora.8.6 - Maiores informações sobre o evento: Site: www.moinhocancaogauchapbi.blogspot.com E-mail: moinhocancaogaucha@panambi.rs.gov.br Telefone: (55) 3376 9100 – ramal 224

5. 2º MOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA FICHA DE ISNCRIÇÃO - CATEGORIA LOCALNome da Composição:__________________________________________________________________________Ritmo:__________________________________________________________________________Autor da Letra:__________________________________________________________________________RG:________________________________CPF: ________________________________Endereço - Rua/Av.: ___________________________________________________________Nº_____________________ Bairro: _____________________________________________CEP: ___________________ Cidade: ____________________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: _____________________________E-mail: ____________________________________________________________________Autor da Música:__________________________________________________________________________RG:___________________________________ CPF: ________________________________Endereço - Rua/Av.: ________________________________________________________________Nº_____________________ Bairro: _____________________________________________CEP: ___________________ Cidade:____________________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: ____________________________E-mail: ____________________________________________________________________Intérprete:__________________________________________________________________________RG:___________________________________ CPF: ________________________________Endereço - Rua/Av.: ___________________________________________________________Nº_____________________ Bairro: _____________________________________________CEP: ___________________ Cidade:____________________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: ____________________________E-mail: ____________________________________________________________________Pessoa autorizada a receber valores que deverá estar presente no evento: (Nome completo):__________________________________________________________________________RG:________________________________CPF:____________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: _________________________PIS/PASEP/NIT: __________________________________________________________DECLARAÇÃO: O(s) compositor(es) acima identificado(s), firmando a presente, implícita eantecipadamente, autoriza(m) aos promotores do 1º MOINHO DO CANTO GAÚCHO, a gravar edivulgar, em CD e outras formas de mídia de áudio e imagem, a composição acima indicada,ressalvando os direitos autorais pertinentes, nas formas da lei. Declara(m), ainda, estar ciente doRegulamento deste Festival, aceitando as condições de participação e concorrência, e que asinformações aqui prestadas são a expressão da verdade.Local/data:Assinaturas: ______________________ _____________________ ____________________ Autor da Letra Autor da Música Intérprete

6. 2º MOINHO DA CANÇÃO GAÚCHA FICHA DE ISNCRIÇÃO - CATEGORIA GERALNome da Composição:__________________________________________________________________________Ritmo:__________________________________________________________________________Autor da Letra:__________________________________________________________________________RG:________________________________CPF: ________________________________Endereço - Rua/Av.: ___________________________________________________________Nº_____________________ Bairro: _____________________________________________CEP: ___________________ Cidade: ____________________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: _____________________________E-mail: ____________________________________________________________________Autor da Música:__________________________________________________________________________RG:___________________________________ CPF: ________________________________Endereço - Rua/Av.: ________________________________________________________________Nº_____________________ Bairro: _____________________________________________CEP: ___________________ Cidade:____________________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: ____________________________E-mail: ____________________________________________________________________Pessoa autorizada a receber valores que deverá estar presente no evento: (Nome completo):__________________________________________________________________________RG:________________________________CPF:____________________________________Telefone(s): Fixo: ________________________ Celular: _________________________PIS/PASEP/NIT: __________________________________________________________DECLARAÇÃO: O(s) compositor(es) acima identificado(s), firmando a presente, implícita eantecipadamente, autoriza(m) aos promotores do 1º MOINHO DO CANTO GAÚCHO, a gravar edivulgar, em CD e outras formas de mídia de áudio e imagem, a composição acima indicada,ressalvando os direitos autorais pertinentes, nas formas da lei. Declara(m), ainda, estar ciente doRegulamento deste Festival, aceitando as condições de participação e concorrência, e que asinformações aqui prestadas são a expressão da verdade.Local/data:Assinaturas: ______________________ _____________________ Autor da Letra Autor da Música